Pastor da Assembléia de Deus se converte ao catolicismo e leva fiéis

A revista National Catholic Register divulgou recentemente  a história de Joshua Mangels que renunciou o cargo de pastor em um congregação da Assembléia de Deus na cidade de  Tucson, estado do Arizona (EUA), chamando a atenção de todo o mundo  por marcar o trajeto inverso que a maioria dos cristãos fazem desde a Reforma Protestante. Mangels  expressou seu descontentamento com a comercialização da fé e decidiu junto com sua família e vários membros da igreja a abandonar seu ministério , trocando de tradição cristã e filiando-se a uma igreja católica que segue o rito bizantino.

O anúncio de Joshua sobre sua decisão foi feito em dezembro de 2016. Na ocasião, quando comunicou a congregação, disse que os membros que desejassem poderiam acompanha-lo, e surpreendentemente, diversos fiéis fizeram a mesma escolha.

Joshua destacou que sentia prazer em seu ministério, mas nos últimos anos sentia-se “frustrado com os ventos de doutrina, as modas e pressões da comercialização da igreja”, e que por isso, adotaria uma tradição cristã menos vulnerável à contemporâneidade.

O ponto de ruptura foi a frustração sentida logo após participar de uma conferência de pastores, onde ouviu coisas que o deixaram em conflito. Desde então, passou a ouvir as homilias de um padre que tinha sido indicado por um amigo, e o conteúdo “era como um gole de água fresca”, afirmou. “Escutei durante horas”, explicou o pastor ao NC Register.

Daí em diante, o ex-assembleiano foi pesquisar sobre a história da Igreja Católica e descobriu muitas informações que desconhecia: “Quando li os pais da Igreja, os sacramentos começaram a ter significado e comecei a ver como a Eucaristia era central para a Igreja primitiva. Se a Eucaristia foi ordenada por Cristo, quero receber isso do Senhor”, relatou.

A Igreja Católica Bizantina Grega é uma denominação autônoma oriental, surgida a partir de uma cisão da Igreja Ortodoxa Grega. Ela está em comunhão com a Igreja Católica de Roma, o que significa que, mesmo mantendo suas tradições e liturgia, reconhece o papa como pontífice. A união formal entre as duas denominações aconteceu em 1829, mas os católicos bizantinos continuam realizando as missas em grego.

FONTE: Noticiacristiana

Esta entrada foi publicada em Atualidades, Informativo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta